“Desafios de escritor” na Vida Simples

Escritor não nasce pronto. Como alguém pode adivinhar se é destinado para aquilo? Qual é o segredo para deixar uma carreira estável ou um emprego seguro para se enfurnar em escrever e escrever histórias atravessando madrugadas e manhãs secretamente, sem nenhuma testemunha? Trabalhar e trabalhar, longe de uma recompensa imediata. O que faz alguém acordar de manhã e dizer para si mesmo: “Eu sou escritor”?

Matéria de Fabrício Carpinejar na revista Vida Simples com resumo das carreiras de feras como Hatoum e Kiefer.

[Perguntas & Respostas] Por que você posta tão pouco?

A pergunta de hoje é da Débora Yohanan e surgiu lá nos comentários da postagem das árvores:

Olá Bruno, eu acompanho o aprendiz de escritor faz um tempo, uns 3 anos se não me engano e eu não entendo porque eu não vejo mais posts por aqui, não sei se você deixou de lado a inspiração para escrever no blog, ou se está muito ocupado para poder continuar postando, eu só queria dizer que dentre tantos blogs, sua história minha inspirou, você simplesmente é um aprendiz, e nesse processo também se tornou um mentor, compartilhando suas experiências e levando as pessoas, inclusive a mim, textos inteligentes e de conteúdos interessantes para incentivar os iniciantes, os aspirantes a escrever. Então eu gostaria de saber porque você anda sumido; Você desistiu do blog? Está planejando algo novo? Não sei se pude me expressar bem aqui nessas poucas palvras, mas seria legal uma resposta.

Oi Débora!

Primeiro, gratidão pelas palavras. Você já sabe usá-las direitinho para emocionar.

E, olha, que pergunta difícil. 

Parei agora pra olhar — agorinha mesmo, enquanto escrevia isso — e me dei conta que criei o blog dia 19 de março de 2008, amanhã faz exatamente SEIS anos que comecei!

Seis filhotes fofinhos que não tem nada a ver com o texto, só pra deixar vocês com cara de “óunnnnn” e a postagem mais aderente aos mecanismos de busca do Google, ok?

Puxa vida, seis anos! Se o blog fosse uma pessoa, ele já estaria entrando na escola! (risos) e há seis anos eu tinha decidido que levaria um pouco mais a sério essa coisa de escrita que tinha ficado encostada tanto tempo. Me meti numa enxurrada de palestras e cursos, conheci pessoas incríveis, vivi experiências inimagináveis e vejo que o blog foi uma ferramenta incrível para pontuar diversas etapas dessa minha jovem carreira.

Continue lendo

“O Machado é o maior escritor brasileiro, mas é difícil gostar dele logo de cara”

Esse foi um dos muitos questionamentos incríveis que o Santiago Nazarian nos lançou durante o I Encontro de Blogs de Letras promovido pelo PavaBlog lá na Livraria da Vila.

Como eu cometei quando recebi o convite, esses encontros entre publicadores de conteúdo digital estão se tornando muito comuns. Eu fui pela curiosidade, mas esperava pelo pior e me surpreendi. Explico.

Continue lendo

[Eventos] Aprendiz de Escritor no I Encontro de Blogs do Publishnews

Amanhã o PublishNews, o PavaBlog, a Editora Record e a Livraria da Vila estão realizando o I Encontro de Blogs de Letras.  A seleção encerrou hoje e o Aprendiz de Escritor vai participar.

blogsdeletras

Eventos voltados para os publicadores de conteúdo digital estão se tornando cada vez mais comuns. Praticamente todas as editoras expressivas já tem programas de fidelidade ou parceria focados nesse público que consome e indica material relacionado ao meio editorial.

Em tempos de gaseificação da cultura, quando o conteúdo se torna tão virtualizado a ponto da volatilidade de compartilhamento ser quase incontrolável, ameaçando até a privacidade do leitor, um encontro privado, exclusivo, patrocinado e — pasmem — com pessoas conversando pessoalmente, só tende a despertar minha curiosidade.

Conto mais por aqui em breve.

Aprendiz de… TRANSFORMADOR DO MUNDO!!!

alan-moore

“Nos últimos tempos, creio que os artistas e escritores têm permitido serem vendidos, sendo levados pela maré. Aceitaram a crença dominante de que a arte e a escrita são apenas formas de entretenimento. Não são vistas como forças transformadoras que podem mudar um ser humano e uma sociedade. São vistas simplesmente como entretenimento, coisas com as quais podemos ocupar 20 minutos ou meia hora enquanto esperamos para morrer.”

Alan Moore, no documentário “A Paisagem mental de Alan Moore

A arte fenomenal é do incrível Matt Taylor.