Blog vira livro que vira filme!

Não é de hoje que blogs estão virando livros. Mês passado tivemos o Blogbooks, um prêmio que transformou vários blogs bacanas em livros de verdade, com direito a ISBN, distribuição, divulgação e direitos autorais — e a segunda edição do prêmio já está sendo anunciada, portanto não perca tempo!

E lá na gringa então? Dá até pra transformar seu blog em livro num serviço por demanda chamado Blog Book! Funciona assim: você baixa um software, edita o bicho como quiser e pede quantos exemplares desejar no formato que preferir — capa dura, papel especial, finalização editorial — é o cúmulo da praticidade!

E a onda não pára por aí! O Twittter (que não passa de um microblog) já serviu de fonte para vários livros tanto aqui quanto lá fora — sim, você leu direito: livro inteiros só com frases publicadas no Twitter!

Bom, se tudo isso não bastasse…

Segue uma nota publicada no Publishnews de hoje:

Para combater o tédio, Julie Powell, uma americana jovem que gostava de cozinhar, resolveu preparar em casa todas as receitas do tratado culinário Mastering the Art of French Cooking, de Julia Child, a mais famosa cozinheira dos Estados Unidos.

A obra tem 524 receitas e Julie decidiu que faria todas elas no período de um ano e relataria a experiência num blog. Cozinhou e postou todos os dias, comentando as receitas e contando sobre sua vida. Algumas vezes penou – achou certos pratos complicados e produtos caros para seu bolso.

No fim, happy end. Seu blog foi um sucesso, virou um livro best seller que acabou dando origem ao filme Julie & Julia, de Nora Ephron, com Meryl Streep no papel de Julia Child e Amy Adams, no de Julie.

A estréia no Brasil está prevista para o começo de novembro.

Nem sei por onde começar a comentar. Um FILME! Caramba…

Primeiro, o básico: visite o blog da moça mesmo que você não entenda lhufas de inglês. O troço virou filme, vai render milhões e vale a pena dar uma passadinha por lá nem que seja só pra sentir o cheiro.

Sobre o visual

Só o visual do blog já prova duas coisas: layout não é nada, conteúdo é tudo. Isso não quer dizer que você pode relaxar no visual, largando tudo encavalado, confuso e feio no seu blog. Quer dizer que, apesar de limpo e claro, o layout da moça é bem simples. Além disso — propagandas à parte — vale ressaltar que ela usa o Blogger! E um modelo padrão, bem organizado, mas padrão. Desses que a gente instala direto na criação em três passos mesmo. Uma coisa simples, mas que foi usada adequadamente.

Outro destaque: ela não tirou a barrinha do topo. Sim, aquela famosa, que incomoda tanta gente. Bom, nem vou entrar no assunto da barrinha porque só isso daria uma postagem toda, mas, por hora, vale destacar que a remoção dessa barra é contra os termos de uso do Blogger.

Sobre o conteúdo

Só de bater o olho também já dá pra perceber que a autora tem o costume de postar textos curtos. Acho ideal no caso dela, mas é lógico que varia de um blog pro outro e até de uma postagem pra outra. Entretanto, não é de hoje que eu aconselho condensar todo tipo de texto pra web. Além da famosa fotofobia — a aversão à leitura na tela do monitor que aflige grande parte do internautas — um texto curto, sucinto, direto, sem enrolação e, ainda por cima, divertido é um convite pra trazer o leitor de volta amanhã.

Conceitualmente, ela teve uma idéia esplêndida: testemunhos sobre a culinária de um livro famoso misturadas a fatos de sua vida cotidiana. Um jeito inteligente e interessante de fazer um diário pessoal bem distante daqueles monólogos pseudo-filosóficos intermináveis sobre as dificuldades do dia-a-dia. Outra coisa curiosa, o blog dela segue um conceito que tem início, meio e fim — são 524 receitas e só. Isso funciona muito bem pra uma obra fechada e não a impede de ir até a livraria e recomeçar tudo outra vez! Genial.

Pra quem entende inglês, o blog da moça é uma aula ainda maior. Ela é divertida, tem umas tiradas incríveis sobre o cotidiano e é super bem relacionada na blogosfera dentro e fora do tema dela. Todas essas foram dicas que já demos por aqui e que valem reforço pra blogueiros de todos os calibres.

Concluindo

É lógico que virar filme não é tarefa pra qualquer blogueiro, mas quem não arrisca não petisca! A Srta. Powell é um belo exemplo de que, não importa a mídia, o que interessa é ser criativo.

3 comentários sobre “Blog vira livro que vira filme!

  1. Muito interessante o comentário sobre os blogs book… O texto lembrou-me sua primeira aula, tem que ter é conteúdo. E dos criativos !

  2. Muito bom Bruno.

    E é bem como vc disse, o blogue dela é super simples. Surpreendente. Conteúdo realmente faz diferença. E saberem onde vc está.

    Pra fazer o meu foi/é difícil pois
    a)pensava (ainda penso) que é bem complicado editar o próprio texto.
    b)segurar a tentação de publicar algo que pode ser legal, mas pode ser mais legal ainda se vc souber esperar.
    c)não achava uma forma que não fosse simplesmente jogar meus textos lá. Pesquisei um pouco antes de fazer, e percebi que a maioria simplesmente jogava os textos um atrás do outro com imagens do google, mas que poderiam ser daqueles powerpoints melosos “Oh-a-vida-é-bela-agradeça-a-Deus” …
    d)É interessante vc abrir a possibilidade de fazer “paisanos” caírem em seu blogue por acidente…

    Bem, é minha opinião… Posso estar falando bobagem.

    Abs

  3. Déda,
    Sim, o que importa é isso mesmo. Quanto mais eu navego, mais eu chego a essa conclusão. É lógico que o visual ajuda um bocado, mas o que segura as pontas mesmo é o conteúdo.

    Bronts,
    Para escritores dizem que o blog é uma ótima ferramenta para disciplinar a escrita. Será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *