Guia Rápido de Sobrevivência na Blogosfera – Parte 1

Criar um blog se tornou uma tarefa tão simples que acabou ficando complicado. São tantas opções para os candidatos a blogueiros (seguindo o jargão desde já), que tudo acaba parecendo um tremendo bicho de sete cabeças. O que segue — dividido em duas parte — é algo que eu, muito pretensiosamente, chamo de guia rápido de sobrevivência na blogosfera.

  • Nessa primeira parte, procurei indicar e opinar sobre os sistemas (também chamados de engines, anotem aí!) que conheço, dando ênfase àqueles que julgo serem mais adequados para os iniciantes.
  • Na segunda parte, darei dicas de como abusar dos milagres da hipermídia e toques de como criar um blog interessante e mais agradável visual e conceitualmente.

Optei por tópicos menos comuns no cyberspaço, por isso descartei a criação de tutoriais (lições passo-a-passo, do tipo “receita de bolo”). No decorrer do guia, listarei alguns dos que encontrei por aí, mas existem pilhas deles Google afora. Não se intimidem com meia dúzia de buscas infrutíferas. A internet é vasta demais para não conter algo que lhe seja útil seja qual for a sua dúvida ou dificuldade.

Mas vamos começar do começo. 🙂

Tópicos

  1. O que é um blog?
  2. Qual é a diferença entre um blog e um site?
  3. É tão fácil assim mesmo?
  4. Não sei nada! Por onde eu começo?
  5. Não gostei do Blogger
  6. Mais do que um simples blog…
  7. Quer mais?
  8. Blogging in English

1. O que é um blog?

Segundo a Wikipedia, um blog é uma página de internet com atualizações (ou posts, pra incrementar o glossário) organizados cronologicamente, do mais novo pro mais antigo.

Embora os blogs tenham ficado famosos como “diários virtuais” (e sofram até hoje com esse preconceito), não se engane: um diário é só um tipo de blog! Esse conceito já foi ultrapassado por outras inovações, como os blogs temáticos e coletivos, por exemplo. Hoje em dia os blogs bons são, acima de qualquer coisa, fontes vivas de informações e opiniões interessantes.

Lembre-se disso quando estiver escrevendo o seu. 🙂

Topo

2. Qual é a diferença entre um blog e um site?

É difícil dizer, mas é fácil notar.

Um site está mais para uma apresentação — um cartão de visitas (os site pessoais), um anúncio, (chamados hotsites), um centro de informações (como são os portais e as wikis) ou uma simples webpage sobre um assunto específico. Os blogs costumam ser usados para publicar recortes de informações para serem vistos, lidos e geralmente comentados pelos seus visitantes.

Na blogosfera (o “mundo dos blogs”), criou-se o hábito desses recortes virem fortemente temperados com a opinião do autor. Isso faz com que os blogs acabem tendo uma abordagem mais íntima e pessoal, mas está longe de ser uma regra — como no caso dos blogs jornalísticos, por exemplo. Apesar disso, alguns dos blogs de maior sucesso que existem por aí ganharam muita notoriedade se caracterizando fielmente de acordo com a personalidade dos seus autores.

Concluindo, os sites costumam ter ritmo, apresentação e abordagem bem diferentes dos blogs — um blog estaria para um site como uma dissertação está para uma narrativa ou descrição. Pra finalizar, eu arriscaria dizer que um blog é um tipo bem característico de webpage dinâmica que, atualmente, não exige praticamente nenhum conhecimento técnico para ser administrada.

Topo

3. É tão fácil assim mesmo?

Criar e administrar um blog é tão fácil quanto ter um webmail (Uol, Gmail ou Terra, por exemplo) e certamente dá muito menos trabalho que um perfil de Orkut. (“Quem é aquela sirigaita?” 😀 )

Tecnicamente falando, a balança é bem simples: mais customização e funcionalidade exige mais mão de obra e conhecimento técnico. Obviamente, existem engines pra todos os gostos, paciências e ócios disponíveis, mas a regra geral é: quanto mais personalizado você quiser que o seu blog seja, mais ele vai exigir de você.

Meu conselho é: não se preocupe demais com os primeiros blogs que criar. Antes de qualquer coisa, crie o hábito de postar. A má notícia é que vai ser preciso experimentar um pouco antes que você seja capaz de se fazer o blog dos seus sonhos. A boa é que, embora as ferramentas exijam prática, elas funcionam mais ou menos do mesmo jeito: se você souber usar uma, sabe usar todas.

No começo, contenha a ansiedade de ajustar o layout (a aparência) do blog se exercite mais com as ferramentas e funcionalidades do engine escolhido: crie links, poste imagens, insira vídeos, modere seus comentários e, acima de tudo, gere conteúdo textual: criar o hábito de escrever e gerar conteúdo interessante num ritmo aceitável — sem entediar, nem sobrecarregar o seu leitor — são as duas lições mais difíceis de se aprender no mundo dos blogs

Topo

4. Não sei nada! Por onde eu começo!

Bom, se você está lendo meu artigo na tela de um computador, provavelmente tem um e-mail e (mesmo que ainda não saiba) também já cadastrou uma conta num dos gigantes da internet brasileira (UOL, Terra, Google, Yahoo!, MSN) , certo?

Isso já adianta um bocado as coisas. 😀

Na verdade, se você já estiver inscrito no grupo do curso, deve ter se cadastrado numa conta do Google e, tecnicamente, tem tudo pronto para começar seu blog num dos engines mais versáteis e didáticos que existem: o Blogger!

Home do Blogger
Homepage do Blooger Brasil

Pra começar, vá até a homepage do Blogger e digite seus dados de acesso (os mesmos do Gmail, Orkut ou do próprio grupo do curso) no formulário de login, no canto superior direito. Se você não tiver uma conta no Google, então está na hora de ter: clique na seta cor de laranja e preencha o formulário. Depois, basta seguir os passos indicados para começar a blogar (dá-lhe neologismo!). O Blogger é um bom engine para os marinheiros de primeira viagem por diversos motivos:

  • É todo em português;
  • Tem uma interface intuitiva, amigável e ícones que remetem à linguagem visual dos webmails;
  • Dá suporte completo à multimídia (é bem fácil postar imagens e vídeos);
  • Tem várias opções de edição de layout; elas vão desde ferramentas completamente visuais (para quem nunca viu um código na frente) até a opção de fuçar as “tripas do código” (para os que tomaram a pílula vermelha);
  • Suporta tecnologia WAP (internet via celular, pelo Blogger Mobile);
  • Oferece sistema de RSS, pings e trackbacks (ferramentas de notificação de atualização);
  • É interligado automaticamente com diversos serviços gratuitos do Google (como o Adsense e o Analytics), os quais você certamente vai querer usar mais pra frente, quando pegar gosto pela coisa;

Além de tudo isso, o Blogger também se destaca pela sua popularidade e seu sistema de ajuda. Com um pouco de paciência e perspicácia, é possível encontrar tutoriais, dicas e truques sobre quase todas as funcionalidades disponíveis dentro do próprio sistema de ajuda ou em muitos outros sites, fóruns e blogs.

Help do Blogger
Talvez seja preciso configurar o idioma da ajuda.

Outro ponto positivo é que o Blogger também traz diversas configurações avançadas opcionais. Entre elas, é possível alterar posteriormente as condições de publicação do blog para um domínio personalizado (www.onomequevcquiser.com.br, por exemplo) ou se, mais tarde, você aprender HTML ou CSS (linguagens básicas para escrita e formatação web, respectivamente), poderá editar seu blog diretamente no código, assumindo um nível de personalização impressionante e extremamente profissional.

O importante é que o Blogger funciona perfeitamente só com o básico do básico. Assim como todas as outras engines, o melhor jeito de aprender a manejá-lo é criando e editando blogs de teste — no “painel” é possível criar, configurar e deletar diversos blogs ao mesmo tempo, então, não tenha medo! Acesse sua conta e divirta-se por alguns dias antes de começar a “blogar sério”. Navegue e fuçe em tudo, sem medo! Tente fazer coisas diferentes e, quando encontrar dificuldades, não desista.

E nunca se esqueça: às vezes basta digitar a pergunta no Google para encontrar a resposta.

Topo

5. Não gostei do Blogger

Uma outra opção mais simples é o UOL Blog, que também é gratuito (mesmo para não-assinantes) e todo em português. Mesmo debaixo de certa poluição visual, não dá pra dizer que ele não funciona. O sistema de postagem é um pouco complicado de entender no começo, mas é rápido e leve para acessar.

UOL Blog
Painel de controle do UOL Blog

Se você já estiver acostumado com a linguagem visual mais carregada dos portais, o UOL não deixa a desejar: oferece suporte a RSS, WAP, sistema importação de mensagens, divulgação e monetarização do blog. Ele tem e até um sistema de simplificação de endereço e editor online de código! Fora isso, ainda restam algumas frivolidades (como humor do dia, votação aberta e perfil público). Visualmente, alguns dos templates de layout (modelos de aparência) até que são caprichados e bem simpáticos.

De resto, as funcionalidades não vão muito além do padrão: comentários, lista de links, indexação por categorias e interface gráfica. Fora todo diferencial artístico e funcional do Blogger, a grande desvantagem do UOL diante dele é que o suporte à multimídia do segundo não é dos melhores: é possível inserir imagens e vídeos, mas é meio complicado. Parece que o UOL deixou a eficácia desses serviços para o UOL Fotoblog e UOL Videoblog.

Particularmente, eu odeio do fundo do coração a limitação de caracteres. Por menor que ela seja — 19.500 caracteres por mensagem, nesse caso — me sinto algemado e amordaçado. Também acho a interface do painel de controle e do sistema de postagem uma tremenda bagunça. Sempre acabo ficando meio depressivo no meio daquele mar de conteúdo-colorido-pisca-pisca do UOL.

Topo

6. Mais do que um simples blog…

Se você está familiarizado com os IM’s (Instant Messengers, os programas de mensagens instantâneas como MSN, ICQ e Miranda) ou sites de relacionamento (como Orkut, Hi5 e Facebook), saiba que existem outras comunidades virtuais que oferecem engines bem bacanas para os blogueiros de plantão — e algumas delas, inclusive, são baseadas nisso!

Apesar de não ter atingido a mesma popularidade que o Tio Bill e seu primo árabe conseguiram aqui no país do futebol, alguns desses sites trazem ferramentas bem interessantes para os blogueiros. Na minha modesta opinião de designer, algumas representam o conceito “relacionamento” de forma muito mais completa que a coqueluche azul e rosa e o mensageiro bolotinha.

Em algumas dessas comunidades, você pode criar um belíssimo blog e, de quebra, enriquecer seu perfil com uma série de ferramentas para criar um verdadeiro canal de hipermídia totalmente personalizado. Canal de hipermídia? É um veículo que os membros usam para compartilhar de tudo: imagens, músicas, vídeos, links, e-mails, contatos, grupos e uma infinidade de tecnicidades que, juntas, compõem um verdadeiro mundo de informação digital.

Windos Live Spaces
Para os MSNers e Hotmailers — respectivamente os usuários do MSN (o programa de mensagens instantâneas) e do Hotmail (o serviço de e-mail gratuito) da Microsoft — minha indicação é o Windos Live Spaces.

Painel WLS
Painel de controle do Windows Live Spaces

Além de ser totalmente em português, traz um painel com visual agradável e intuitivo, um sistema de ajuda aceitável e um público de fãs crescente. Além de ter tudo o que um blog precisa ter (perfil, fotos, comentários e listas), é altamente customizável e tem suporte prático à multimídia e RSS. Uma ótima pedida para os blogueiros novatos que não manjam inglês ou para quem quer experimentar funcionalidades inovadoras entre blog e IM.

MySpace
Concorrente direto do Windows Live, o MySpace é tão propriedade da Google quanto o Blogger. Todavia, ele é bem diferente do seu primo rico: poluído demais, tem uma interface bem complicada, com uma tremenda bagunça entre os links de operação, notícias e funcionalidades do próprio engine.

Painel de Contrile do MySpace
Painel de descontrole do MySpace

Apesar da confusão, não dá pra dizer que o MySpace não faz o serviço. Ele permite a criação de um perfil bem completo (dispensa o Orkut, por exemplo) com listagem de interesses, amigos e sistema de comentários. Também dá suporte à criação de diversos blogs, é amigável com postagem de multimídia (imagem e vídeo), tem um calendário com sistema de agenda e permite troca de mensagens particulares.

A comunicação do MySpace com as gigantes é bem interessante (como o sistema de importação de contatos do Orkut, Gmail, Yahoo! e MSN). Fora isso, é bem popular no exterior. Se não fosse o visual de feira-livre e a linguagem de portal (que eu, particularmente, odeio), talvez eu até simpatizasse um pouco mais com ele.

Topo

7. Quer mais?

Me estendi nessas ferramentas acima pela didática das funcionalidades que elas apresentam. Agora, cabe a você se aventurar blogosfera afora! Vou despejar aqui uma listagem com outros engines de blog gratuitos em português e meus comentários a respeito deles:

Terra Blog
Como não podia deixar de ser, esse sistema é bem similar ao UOL Blog. Talvez seja só impressão minha, mas acho que ele é um pouco menos estável e popular que seu primo continental. À princípio, vai da preferência do freguês mesmo.

Weblogger.net
Aparentemente um engine comum comprado pelo Terra. Instável, estranho e amador demais pro meu gosto.

BliG – O Blog do iG
Outro engine comum sob a alçada de um grande portal (iG). Surpreende por oferecer um sistema dinâmico e automático de podcasting (postagens via voz). Não tem o mesmo charme do UOL Blog, mas tá no páreo.

POP Blog
O Blog do POP é meio “enlatado”, mas é completo. Traz todas as funcionalidades comuns e, embora seja pouco inovador e meio limitado, tem suporte à vídeo e um sistema interligado de fotolog (blog de fotos), álbum digital e site pessoal.

UniBlog
É gratuito, em português e tem pouca propaganda. Contudo, é triste de tão rudimentar; tanto visual e funcionalmente.

Blogando.net
Se concentra no suporte ao usuário através de um sistema de fóruns e mensagens pessoais. Talvez seja uma boa pedida para quem está no comecinho mesmo e precisa de ajuda constante.

BLOG.TRIX.NET
Sistema de blog comum. Comentários, contadores, estatísticas, enquete, enfim…

MyBlog – Click 21
Outro engine bem similar aos sistemas do UOL e do Terra com a diferença que coordena e concentra blog, fotolog e site pessoal. A notícia boa é que não há limite de caracteres por postagem e a ruim é que o espaço em disco é bem limitado.

Blog-se
É um serviço de blog desenvolvido exclusivamente para jornalistas e estudantes da área. Como temos muitos na turma, achei interessante listá-lo.

The Blog
O engine da antiga BR Turbo. Medo! 😯

BlogTok
Nunca tive paciência pra lentidão desse engine. Mas ele existe e, teoricamente, funciona.

Topo

8. Blogging in english

Para quem lê inglês, as oportunidades na blogosfera se multiplicam ainda mais. Algumas das melhores ferramentas para blogueiros ainda não possuem uma versão em português — o Blogger, por exemplo, só esteve disponível no nosso idioma em meados de 2002, sendo a única franquia de tradução dessa engine no mundo todo.

WordPress
Como eu não podia deixar de recomendar, a engine que eu uso aqui no Aprendiz de Escritor é o WordPress, que eu particularmente julgo ser o sistema mais completo e distinto que existe atualmente.

Download do WordPress
Página de download do WordPress

Apesar de vir todo em inglês, o sistema já tem suporte em português. A parte ruim é que ele exige um pouco mais de conhecimento técnico — é preciso saber lidar com provedores, hospedagem e FTP, por exemplo — mas fora isso ele é bem prático, claro e extremamente profissional.

Multiply
De todas as comunidades virtuais que eu conheço, a que eu mais gosto é o Multiply. Simples, prático e extraordinariamente completo.

MySite do Multiply
Painel de controle do Multiply

As interfaces visuais e o sistema de interatividade entre os perfis é tão intuitivo e icônico que dá vontade de clicar em tudo! Além do blog (com suporte a RSS), o Multiply se destaca pelos perfis bem práticos e divertidos (dá pra trocar até receitas através deles) e pelo sistema interno extremamente independente, com catalogação de músicas, vídeos, eventos, resenhas, links, contatos e até de grupos de discussão (como o nosso, por exemplo). Na minha opinião, ele dá de dez no Orkut e, assim como ele, dá pra entender só com o inglês da escola, como se fazia até meados de 2005.

Outros Gringos
Certamente daria para escrever outro artigo só falando das ferramentas disponíveis em outros idiomas, mas eu certamente esqueceria alguma coisa e não quero me estender muito além do que já me permiti.

Quero fechar minha lista de indicações gringas com três referências importantes: o LiveJournal (uma comunidade virtual quase tão completa e integrada quanto o Multiply), o Blogsome (bem útil pra quem for tentar se aventurar com o WordPress) e o Xanga (a comunidade virtual mais “descolada” que já encontrei).

Se você arranha bem no inglês e pretende começar a vida de blogueiro com o pé direito, os três valem uma boa visita.

Topo

Veja Mais

16 comentários sobre “Guia Rápido de Sobrevivência na Blogosfera – Parte 1

  1. Bruuuuno, que qué isso gente !!!
    Bom, o povo ai acima já disse tudo..e eu… eu continuo pasmo…usando o termo corriqueiro destes comentários…
    Muito bom. Valeu!!!
    Abraços.
    Sady

  2. Carai, Bruno… Matou a pau, e com todo estilo.
    Como disse a Pat Cy, você domina o brinquedo.
    Sou bem lerdinha nessas coisas, mas vou tentar
    seguir as suas preciosas dicas. Obrigadão!

  3. Olá pessoal,

    Obrigado pelos elogios. 🙂
    Espero o guia ajude a todos.

    A segunda parte vem e breve, assim que todo mundo já estiver conectado no mundo da blogosfera.

    Abraço,
    b.Cobbi

  4. OIe! Ficou muito legal, agora me deu até vontade de criar um blog tb. É isso aí, e isso é só o começo… Parabéns!
    abraço

  5. Por favor, me ajude,

    Preciso de informações de como faço para colocar algumas fotos de meus trabalhos manuais em meu blog? Preciso de passo a passo mesmo…

    Leciono um curso de artesanato na igreja (trabalho voluntário) e preciso divulgar essas fotos.

    Se puder me ajudar mandando instruções através de e-mail agradecerei sempre.

    Obrigado

  6. Oi Bruno.
    estou com a tarefa de alimentar o blog da minha filha. Ela é artesã e queremos que seu blog seja um espaço de divulgação de seu trabalho, um painel dos trabalhos realizados por suas alunas e um espaço de dicas e troca de idéias.
    Estou com dificulade de postar fotos, alterar o seu perfil, fazer comentários, etc.
    Fiquei procurando a parte 2 do seu guia na esperança de encontrar estas respostas.
    Aguardo notícias sobre a parte dois ou a resposta de minhas dúvidas.
    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *