Oficina de Técnicas para Escrever Ficção (e um belo desconto!)

Nessa maratona para me tornar escritor, estou conhecendo inúmeros cursos, palestras, encontros, saraus e concursos e venho dividindo tudo com vocês, tanto aqui pelo blog quanto pelo meu twitter e/ou por muitas das listas de e-mail e fóruns de discussão que participo.

Em meados de Abril, fiz um curso com o simpático Júlio Rocha, um escritor apaixonado — e professor muito dedicado — que, nas horas vagas, divulga a prática literária pelo país todo ministrando cursos sobre técnicas para escrever ficção. Amante de literatura policial, ele tinha mais paperbacks que eu na mochila! 😀

Como muitos escritores que eu conheço, o Júlio tem outra profissão e não depende da grana da venda dos seus livros nem dos cursos pra viver. Por causa disso, ele coordena um projeto muito bacana de divulgação da prática da escrita em bibliotecas e escolas públicas para pessoas de baixa renda — tudo patrocinado pelos lucros gerados com suas aulas particulares e pelos exemplares do seu livro que ele vende.

Funciona assim: quando uma pessoa compra um exemplar do livro dele (o Teia Negra) ou participa de uma das oficinas que ele promove, está contribuindo diretamente para esse projeto social que a equipe dele vem desenvolvendo junto às secretarias de escolas e bibliotecas públicas. Ele conta com a ajuda dos alunos na escolha das instituições que serão beneficiadas e na divulgação do projeto como um todo.

Eu achei a idéia de extremo bom gosto e estou ajudando como posso. Fiz a oficina, tenho um exemplar do livro e já estou ajudando a divulgar. A boa notícia é que vocês, por terem chego chegado nele através desse humilde aprendiz aqui, também terão uma boa vantagem: quando forem efetuar suas inscrições na oficina, basta colocar a palavra CURSO no campo “código promocional” para receber um super desconto de 50% no preço final do workshop!

Saiba mais sobre o curso:

O workshop trata dos seguintes tópicos principais:

Como Escrever as Primeiras Linhas
É muito bom quando sentamos em frente ao teclado e começamos a escrever imediatamente. As idéias parecem surgir como mágica em nossa mente e conseguimos progredir bastante em um curto espaço de tempo. Pena que isso não acontece todos os dias, pelo menos para a maioria de nós. E quando a inspiração não aparece, o que fazer?

Como Escrever um Bom Início
Você já reparou como um livro é analisado por um possível comprador em uma livraria? Ele olha a capa, lê a sinopse no verso e procura por informações nas orelhas. Além disso, na maioria das vezes, o leitor lê as primeiras páginas e toma sua decisão de ficar ou não com o livro com base no início da história! O papel do primeiro capítulo ou prólogo é fazer com que o leitor tenha vontade de continuar lendo.

Como Descrever Personagens, Locais e Objetos
Este costuma ser um ponto em que o escritor torna-se superficial demais ou acaba exagerando nas descrições e deixa o leitor cansado e desanimado com a leitura. Bom, encontrar um meio termo nem sempre é fácil, mas temos algumas coisas para levar em conta antes de descrever um local, um objeto ou personagem.

Como Estabelecer o Ponto de Vista
Este é um tópico muito importante para quem escreve romances ou textos que exigem a definição de um ponto de referência através do qual a cena que está sendo narrada irá ser filtrada. Ponto de vista, mais conhecido como POV (Point of View), quando usado incorretamente pode deixar o leitor confuso e tornar a leitura cansativa.

Como Escrever Diálogos
Aqui seus personagens ganham vida. É através dos diálogos que o leitor se aproxima e interage com eles mais intensamente. Um bom escritor deve saber como escrever um diálogo verdadeiro e compatível com os personagens e a com a trama.

Como Construir Personagens
Toda história tem ao menos um personagem. Pode ser uma pessoa, animal, planta ou objeto qualquer, mas ele sempre estará lá. É o personagem que trás vida para um livro. Faz rir, chorar, amar, respirar… Se você quiser contar uma boa história, terá que construir bons personagens.

Como Despertar Emoções
Você já ficou, alguma vez, com lágrimas nos olhos enquanto lia um livro? Creio que a maioria de nós já experimentou essa sensação de sofrimento diante de acontecimentos que envolvem os personagens de uma história. O principal motivo que leva o leitor a derramar lágrimas com o que está lendo é o seu vínculo com o personagem. Como criar este vínculo? Como fazer seu leitor chorar, rir e se apaixonar?

E ainda:
Como Escrever Finais, Como Escrever Lutas e Combates, Como Escrever Cenas de Sexo, Como Escrever Cenas de Suspense, Como Revisar seus Textos e Como Publicar Seus Trabalhos.

Sábado agora (dia 6 de Junho) rola uma oficina aqui em São Paulo e o desconto já está valendo! Não perca essa chance e não esqueça de aproveitar a promoção.

28 comentários sobre “Oficina de Técnicas para Escrever Ficção (e um belo desconto!)

  1. Bruno,

    Cheguei ao seu blog vindo do Livros e Afins, que linkou a matéria do Bruno Rodrigues, que você comentou… E já está no meus favoritos.
    Também faço parte desta turma de aprendizes de escritor e estarei na oficina do Júlio em BH, que parece mesmo imperdível!
    Parabéns pelo blog, fantástico.

    Abs!
    Marcelo.

  2. Infelizmente não poderei participar, mas as dicas parecem preciosas.
    Continue com o blog super informativo!
    Estou terminando meu primeiro livro e aviso por aqui quando rolar o lançamento.

    Um beijo, VS.

  3. Marcelo,
    Tenho certeza que vc vai gostar da oficina do Julio também! Seja bem vindo ao Aprendiz!

    Rachel,
    Muito bom Rachel! Não se esqueça de citar o Aprendiz! Tanto pelo desconto, como pela afinidade!

    Milady Scott,
    É uma pena sua ausência, mas não deixe de avisar sobre o livro sim.

  4. Pô, véio. Queria ser um aprendiz de escritos como você um dia. Mas me tira uma dúvida. Vem cá, quando você escreveu “terem chego”, será que o verbo ter não puxa o particípio regular, não era pra ser “terem chegado”? Sei lá, quando li, me deu nervoso…
    Abs!

  5. Fabio,
    Bom, pelo visto você já é um ótimo revisor. Tá corrigido já. Nesse meu caminho de aprendiz, uma das coisas que aprendi é que todo mundo tropeça de vez em quando, mas é sempre bom estar rodeado de gente bacana que está sempre pronta para estender a mão e ajudar.

    Aprender é isso. Obrigado pelo toque e seja bem-vido ao Aprendiz de “Escritos”! 😉

  6. Muito obrigada pela dica… vi que terá um em Ctba em setembro e já estou me inscrevendo, com o desconto e tudo, muuuuuuuuuito obrigada!!!

  7. Caro senhor,

    Seria possível colocar esta página os nomes de livros sobre ser escritor, e sobre arte de escrever livros?

    Obrigada pela atenção.

  8. Rosana,
    Você não vai se arrepender, além de ajudar quem precisa, as aulas do Júlio não deixam nada a desejar. Não esqueça de passar aqui pra deixar sua opinião sobre o curso!

    Sebastiana,
    Estou preparando uma série de postagens especiais só com bibliografia dirigida a aprendizes de escritores. Fique atenta nas atualizações visitando sempre o blog ou assinando nosso canal de feeds.

    Fábio e Grazi,
    O Júlio mantém o calendário do site dele sempre atualizado com os novos cursos. #ficaadica 😉

  9. Quando um escritor nasce, todo o seu caminho é uma rocha dura de quebrar…
    Mas se o escriitor é sábio, sua caminhada é uma história que ele vai deixar escrito…
    Sou também um aprendiz, vivo emtre a explosão e a luta, mas nunca me falta história para por no papel…
    Vejo que muitos não aprenderam a alinhar as ideias, mas se eles pararem e beber o som, vão entender o que é ser um escritor nato, nascido para fortes emoções…

    Um abraço,
    Amigo
    Tom Farias

  10. Já estou no quinto livro de ficção, mas ainda não consegui editar nenhum. Um colega fez até me fez um exemplar, com capa e tudo que, hoje, já está corrigido e até registrado. Apesar de ter mais de cento e trinta páginas, sinto que consigo escrever livros mais grossos, mas sem dinheiro para edição fico desanimado, o que fazer?

  11. José,
    Vai soar estranho, mas publicar é o de menos. O primeiro passo pra qualquer aprendiz de escritor é escrever. Escreva muito e reescreva ainda mais.

    Tem um livro famoso chamado Fora de Série: Outliers do jornalista britânico Malcolm Gladwell que defende a teoria das 10 mil horas: treine 3 horas por dia durante 10 anos e, aí sim, você pode se considerar um cara fora de série nessa tarefa. E convenhamos, você só vai querer publicar depois que já estiver (ou estiver ficando) fera nas letras, certo?

    Claro que toda regra tem suas exceções — o livro explica que muitas pessoas se beneficiam mais da prática do que as outras. Entretanto, ninguém encontrou ainda um caso em que a excelência para ser considerado “gênio” tenha sido alcançada em um prazo menor. Parece que o cérebro precisa desse tempo para assimilar tudo o que é preciso para atingir a verdadeira destreza.

    Além disso, o Malcolm é um cara renomado (colunista na The New Yorker, escritor de outros livros bem bacanas) e o estudo envolveu diferentes pesquisadores, (neurocientistas e psicólogos) e vários tipos de pessoas “fora de série” (músicos, matemáticos, esportistas, escritores e assim por diante). Vale a pena tentar!

    Pratique bastante, envolva-se com outros escritores e no mundo da literatura. A publicação é consequência.

  12. eu gostaria de saber quando ocorro outra oficina de técnicas para escrever ficção

  13. Seus comentários são inteligentes e orientadores, embora às vezes pareçam desestimulantes.

    Quanto você diz que “escrever se aprende escrevendo” é uma grande verdade, mas isto é difícil entrar na minha cabeça e na cabeça de muitos que começam nesse ofício.

    Saber tocar a alma do outro e atrai-lo para o mundo que você criou exige sim muitos traquejos que só vêm depois do domínio completo das técnicas e sua consequente maturidade.

    Não nascemos prontos, e o tempo se encarrega muito nesse lapidar.

    Obrigado por sua página existir para nos orientar a ter paciência, pois, quando um bom trabalho é feito, ele vem à luz, e a coisa sairá do seu controle, não conseguindo detê-lo.

    A ânsia do iniciante e ver sua obra publicada, atraído pelo sucesso imediato, estando ainda ofuscado pela empolgação de ter escrito o primeiro livro.

    Valeu, obrigadão mesmo por nos iluminar nesse caminho.

  14. Me interessei pela Oficina, qdo será a próxima e q local? Qual o valor do investimento? Vc tem livro publicado sobre este tema/ensina escrever ficção policial. Por gentileza, me responda por e-mail.

  15. Gostaria de comprar o livro que fala sobre as técnicas para escrever um bom livro de ficção, e gostaria muito ser um aprendiz de escritor!
    Gostaria também de estar conectado com vocês para torcarmos idéias e conselhos. Obrigado pela atenção!

  16. Olá Bruno,

    Parabéns e obrigado pelo blog!
    Alguma previsão para o Curso em 2012? Entrei no site e ainda não há nada.

    Abraço,
    Daniel

  17. Eu já tive varias ideias. Mas na Hora de começar a digitar, parece que todas aquelas ideias ficam sem criatividade. estou pensando em escrever um livro sobre um Garoto chamado Rick Jonhasson de 14 anos que descobre por meio de seu primo que é um mago de uma linhagem bem antiga e poderosa. Tomara que essa historia prossiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *