[Perguntas & Respostas] Por que você posta tão pouco?

A pergunta de hoje é da Débora Yohanan e surgiu lá nos comentários da postagem das árvores:

Olá Bruno, eu acompanho o aprendiz de escritor faz um tempo, uns 3 anos se não me engano e eu não entendo porque eu não vejo mais posts por aqui, não sei se você deixou de lado a inspiração para escrever no blog, ou se está muito ocupado para poder continuar postando, eu só queria dizer que dentre tantos blogs, sua história minha inspirou, você simplesmente é um aprendiz, e nesse processo também se tornou um mentor, compartilhando suas experiências e levando as pessoas, inclusive a mim, textos inteligentes e de conteúdos interessantes para incentivar os iniciantes, os aspirantes a escrever. Então eu gostaria de saber porque você anda sumido; Você desistiu do blog? Está planejando algo novo? Não sei se pude me expressar bem aqui nessas poucas palvras, mas seria legal uma resposta.

Oi Débora!

Primeiro, gratidão pelas palavras. Você já sabe usá-las direitinho para emocionar.

E, olha, que pergunta difícil. 

Parei agora pra olhar — agorinha mesmo, enquanto escrevia isso — e me dei conta que criei o blog dia 19 de março de 2008, amanhã faz exatamente SEIS anos que comecei!

Seis filhotes fofinhos que não tem nada a ver com o texto, só pra deixar vocês com cara de “óunnnnn” e a postagem mais aderente aos mecanismos de busca do Google, ok?

Puxa vida, seis anos! Se o blog fosse uma pessoa, ele já estaria entrando na escola! (risos) e há seis anos eu tinha decidido que levaria um pouco mais a sério essa coisa de escrita que tinha ficado encostada tanto tempo. Me meti numa enxurrada de palestras e cursos, conheci pessoas incríveis, vivi experiências inimagináveis e vejo que o blog foi uma ferramenta incrível para pontuar diversas etapas dessa minha jovem carreira.

Desde de a primeira delas, o blog me serviu como uma forma de incentivo para escrever. Escrever quando há possibilidade de ser lido parecia muito mais interessante. Até hoje isso é um pouco do que me move a partilhar certas coisas por aqui, entretanto, aos poucos eu fui ganhando um bocadinho de maturidade ética como escritor, e isso traz uma bela seletividade na hora de escolher o que se publicar e de como publicar.

Aliás, o blog me ensinou muito sobre a diferença entre escrever e publicar.

Hoje eu escrevo até mais do que escrevia quando comecei o blog, mas eu certamente publico quase nada do que produzo, justamente por ter entendido que, como os vinhos e as pessoas, a literatura exige certa maturação para se tornar melhor.

 

Aliás esse é um conselho para ser publicado aqui: leia o triplo do que você escreve, publique um terço do que você produz.

Quando eu comecei, eu tinha meus 20 e poucos, com muito tempo livre e muita abobrinha na ponta dos dedos — eu morro de vergonha dos posts mais antigos, mas deixo lá porque gosto deles, são o registro de uma etapa da minha trajetória — hoje, eu acabei de chegar nos trinta e tenho vários projetos em andamento, ou seja a resposta para a sua pergunta sobre estar planejando outras coisas é sim, estou sim.  É para esses projetos que dedico o pouco tempo que me resta na literatura. Além disso, o blog acabou ganhando certo destaque o que me obrigou a ser ainda mais seletivo no que publico por aqui.

Hoje, mais do que nunca, sei que o foco dos leitores aqui são conselhos literários (enãoasminhasabobrinhasmalucas) então eu não tenho priorizado tanto a periodicidade e só posto quando encontro alguma coisa MUITO interessante ou quando estou MUITO inspirado a escrever alguma coisa.

Como eu fiquei depois de ler seu comentário.  (“óóóóóóóuuunnnn….” de novo, hehehe)

Sua pergunta mexeu bastante comigo pois já me culpei um bocado — aqui e aqui, por exemplo — por essa coisa de “abandonar” o blog. Também já vi muita gente por aí se lamentando por isso. O que eu tenho a dizer é “pegue leve”.

O principal indício de que correm letras nas suas veias é essa vontade de escrever que nunca passa, que vai e volta. Desse jeito, não há necessidade de ficar se obrigando a nada. Como exercício, é bacana, mas se virar hábito, se transforma numa tortura e vai provocar bloqueio criativo.

Deixe fluir. Preocupação tensiona e a tensão não é amiga da boa criatividade.

Relaxe, escreva quando quiser e sobre o que quiser. Óbvio, lembre-se: 1) nem tudo o que é escrito deve ser publicado e, 2) seu livro não vai se escrever sozinho.

Mas é sempre bom saber que vocês ainda gostam do que eu publico por aqui. 

3 comentários sobre “[Perguntas & Respostas] Por que você posta tão pouco?

  1. Oi, Bruno obrigada por me responder, agradeço pelos elogios sobre a forma que me expressei mas ainda sei que tenho muito o que aprender!(É um duro caminho pois muitas vezes aparecem todos os motivos do mundo para não se escrever!) Agradeço também pelas dicas nesse texto isso de deixar fluir me ajudou e você nem sabe o quanto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *