Postagem de aniversário: 6 dicas criativas do Rainier Morilla

Pela data do registro, hoje é o “aniversário oficial” aqui do blog! Parabéns para nós e teria presente melhor do que a participação de um leitor do blog como autor? A postagem de hoje é assinada não por mim, mas pelo sagaz Rainier Morilla que postou essas dicas como um comentário aqui no blog que depois foram adaptadas para uma postagem completa. São dicas preciosas para qualquer aprendiz que se preze! Fiquem com ele!

6 Dicas para evitar o bloqueio criativo

Existe um problema que todo escritor — profissional ou amador — já enfrentou ou vai enfrentar. Sabe aquela vontade de pegar tudo o que você já escreveu e colocar fogo? Pois é, falta criatividade ou paciência para concluir aquele texto…

Já sabe do que estamos falando? Sim! Do temido bloqueio criativo! Parafraseando Edison Lobão, nosso querido Ministro de Minas e Energia, sobre o recente apagão “Não é um bloqueio, é uma interrupção temporária de criatividade”. Fiquem calmos!

Infelizmente não há como evitar este bloqueio. Como a maioria dos problemas que enfrentamos na vida, ele chega sem avisar e nos deixa em xeque! Entretanto há como superar essa dificuldade sem danos maiores.

1. Faça uma cópia de segurança de tudo o que você escreve

Não existe nada melhor para a sua segurança do que o famoso backup. Até porque nunca se sabe quando teremos um siricutico de raiva e excluiremos tudo o que estamos escrevendo no melhor estilo “rasgar-picotar-triturar e jogar na lixeira”.

Já ouvi muitas histórias de aprendizes de escritores que, no meio da composição, excluíram a obra inteira e se arrependeram muito depois. Guarde sempre uma cópia daquilo no que estiver trabalhando. De preferência longe do seu alcance durante um acesso de raiva.

Fazer uma cópia de segurança é impressindivel mesmo sem bloqueio criativo, afinal seu computador sempre pode pifar e lá se vão horas de trabalho… Até mesmo meses ou anos! Tudo porque você não me escutou e não gravou seu trabalho em outro local.

Acredite, você vai se lembrar desse conselho. Espero que seja durante um “ufa”.

2. Salve as versões antigas do seu texto

Enquanto escrevemos um texto, é comum fazermos diversas alterações nos personagens, trama ou uma revisão geral mesmo. Também é comum que essas alterações não nos agradem na manhã seguinte, e que desejemos a versão antiga.

Essa é a hora em que o santo CTRL+Z não chega até onde você queria…

Pode ser por data, por revisão, por signo do zodíaco, mas sempre tenha em mãos o que você fez antes. Pode ter utilidade no futuro. As vezes até num trabalho diferente, principalmente em momentos de bloqueio. Imagine só.

Você chega em uma encruzilhada onde não sabe o que é melhor para a história. Você escreve algo, altera, volta, cria uma nova alternativa e por fim não sabe o que fazer. Se você tiver em mãos todas as versões será mais facil comparar qual é o melhor caminho e tomar uma decisão com base em algo mais sólido que sua memória.

3. Organize

A organização será sua melhor amiga em todas as ocasiões. Por isso organize tudo! Desde a mesa onde você trabalha até os detalhes do enredo e dos personagens.

Quando você precisar de uma informação importante, vai achá-la mais rapidamente, evitando que uma idéia muito boa seja perdida porque você está ocupado em achar uma coisa que deveria estar à sua mão. Além de poupar tempo e esforço, um trabalho organizado tem menos chances de colocar sua mente em xeque. Entretanto, não exagere. As vezes conseguimos idéia brilhantes através de combinações inusitadas.

4. Estude

Quanto mais você sabe sobre escrever, mais fácil e melhor escreverá. Grande parte dos escritores concorda que escrever é um dom, um talento nato, todavia todos concordam que o ato de estudar métodos de escrita ajudaram em sua tarefa.

Procure aprender sobre enredo, sobre a jornado do herói, construção de personagens, narração. Enfim, essas técnicas vão ajudá-lo a aprimorar sua forma de escrita.

5. Não pare

Acostume-se a escrever mesmo diante de bloqueios. Assim eles se tornarão cada vez menores.

O cérebro é igual a qualquer músculo: precisa ser exercitado constantemente. Quanto mais ritmo você manter na escrita, mais você treinará sua mente para escrever.

Outra coisa importante é que, depois de qualquer pausa, existe uma dificuldade proporcional em retomar o ponto onde você parou. Afastar-se de uma história por um longo período vai quase obrigá-lo a recomeçá-la! Para reassumir uma história que você já não escreve há semanas ou meses será necessário reler toda a história, retomar as anotações sobre ela, rever os personagens e fazer toda uma recapitulação de idéias e conceitos. Isso demanda um tempo precioso que poderia estar sendo dedicado para continuar essa produção.

6. Tranque a porta, deslique a TV e saia da internet

Está é a dica mais importante de todas. Ao invés de argumentar, vou contar uma história.

Você interrompe sua escrita para procurar uma informação para o seu texto. Você pesquisa um pouco. Aproveita a pausa para abrir seus emails e, sem querer, encontra uma mensagem muito legal de um amigo. Aí você chama ele pelo Twitter ou MSN e acaba descobrindo uma noticia sobre uma revista em quadrinhos incrível! Aí você entra em vários sites procurando mais informações e quando percebe já está em uma loja virtual comprando o último lançamento pro seu Playstation 3.

Este é somente um exemplo, mas todos os que navegam na internet sabem do que estou falando: procrastinação. A inimiga número um de todo e qualquer ser literário, sedento de informações e referências.  A melhor coisa que você pode fazer ao escrever é se concentrar na produção. Desconecte a internet. Se precisar fazer uma busca, anote e faça depois.

Quanto à televisão ou a porta, cada segundo perdido com interrupções (mesmo que breves, como comentários ou olhadinhas rápidas aqui ou ali) é um segundo de produção perdido. Não que você não deva assistir um bom filme para se inspirar ou bater um papo com seus amigos do condomínio, mas hora de escrever é hora de escrever.

Por isso, saia agora da internet e vá escrever seu livro.

12 comentários sobre “Postagem de aniversário: 6 dicas criativas do Rainier Morilla

  1. Se eu posso comentar mais umas coisas :)

    1 – A solução trás outro problema: neurose de backup! Tenho tantas cópias das minhas pastas de escritos que preciso me organizar. É uma no pendrive, uma no HD interno, outra no HD externo, uma no Google Docs… e vai…

    2 – O OpenOffice (acho que também o Mic Word) tem um recurso interessante pra isso: vc pode “comparar” diferentes documentos. Ele risca as palavras apagadas e destaca as adicionadas. Também dá pra manter um registro do mesmo documento. O Google Docs, pra quem gosta de usar, tb tem um restaurar às versões anteriores. É muito útil pra um documento redigido em grupo.

    3 – Escritor sem ter onde anotar ideias é que nem gente que vai pra carnaval sem camisinha.

    4 – Uma coisa que o Spohr diz sobre isso, além de falar da jornada, é se cercar de referências. Às vezes eu me procuro histórias ou ilustrações que evoquem o mesmo clima, coloco uma música ambiente.

    5 – Como os americanos dizem, “escrever é 1% inspiração e 99% não se deixar distrair pela internet” 😀

    Também, no seis ainda, tem uma série de programas e serviços online pra ter um espaço livre de distrações. É só jogar no Google “distraction-free writing” e ver. Alguns programas bloqueiam notificações, até as do sistema, escondem ícones inúteis, e deixam só o espaço de escrever!

    (typo: inprescindível, não impressindível!)

  2. Da onde vc tirou essa foto??? rsrsrs… Bons tempos de quando fazia teatro! Mal me reconheci ali!

    Feliz aniversário então para o Blog e para mim! Um dia de diferença, que legal! Um bom presente para ambos!

  3. Ótimo texto!

    Tudo isso já aconteceu comigo. Após árduas provas e cruzadas contra computadores ruins, aprendi a lição. HD externo, pen drive, DVDs, Dropbox, tudo sempre a mão para uma eventualidade, sempre em busca de inspiração, lendo, lendo, lendo, nunca parando.

    Dizem que escrever é como falar a verdade: você só aprende a custa do exercício.

    Hugs!

  4. Primeiramente, gostaria de parabenizar a você, Bruno, pelo aniversário do blog. Tenho sido leitor fiel e seus textos são de muito valor para nós, aprendizes de escritor.

    Em segundo lugar, gostaria de parabenizar ao Rainier, autor do texto. Organização é tudo no ato de escrever um livro, e embora eu nunca tenha tido esses “acessos” onde resolvo atirar tudo o que escrevi na lixeira, já perdi muitas coisas que havia escrito por confiar demais em computadores. Hoje, faço cópia de segurança em pen drive, e logo pretendo adquirir um segundo pen drive, além de arquivar meus textos em meu e-mail.

    Considero fundamental a dedicação ao livro, nem que seja por cinco minutos diários, o tempo que o autor tiver para isso.

    E para finalizar, é verdade: o Messenger, Twitter e demais redes sociais são inimigos dos escritores, pelo menos enquanto deveriam estar criando, e não navegando pela internet!

    Abraço a todos!

  5. Parabéns pelo aniversário – e aproveito para parabenizar também o Rainier pelo texto. Já passei por isso e estou passando neste exato momento (tenho vários textos inacabados). Na verdade, é aquela velha questão do tempo.
    Às vezes penso em deixar para recomeçar quando concluir a faculdade – já que não posso deixar de trabalhar mesmo (embora às vezes queira muito rs) – e às vezes penso em dedicar um tempo, ainda que singelo, para escrever algumas linhas, religiosamente. Talvez esta última seja a melhor saída. De qualquer forma, essas dicas vão ajudar muito quem é vítima da falta (ou desorganização?) do tempo ou da protelação. Grande abraço e valeu pelo post!

  6. É Vinicius, a neura do backup é real. Mas ela é uma neura boa, rs. Seus comentários fora ótimos e a da camisinha é digna de Twitter!

    A foto do Rainier é cortesia do Google-fu e a Sybylla tem razão, backup só se aprende na base do exercício! Dizem que é pelo amor ou pela dor né? rs

    Não é a toa que o backup e as ferramentas digitais, como disse o Denis, foram os tópicos mais comentados. Eles são verdadeiros inimigos dos escritores mesmo.

    Agradeço ao Fabio pela indicação, e ao Geovani e, ao Ciro, não deixe nada pra depois não. Escrever é sempre agora. Um parágrafo por dia são mais de 350 parágrafos por ano!

    Força galera!

  7. Olá Bruno!! gostei das dicas do Rainier.Parabéns pelo aniversário do blog!!
    Tenho uma pergunta,estou começando como aprendiz de escritora!! e gostaria de saber que livros eu posso ler para iniciar meu trabalho.Eu sou estrangeira e tenho dificuldades na língua,estou fazendo um curso online de portugués agora.
    Mas gostaria de dicas de leitura para me aprimorar.
    Grata!!
    ROSA

  8. ROSA eu recomendo um livro muito bom para quem quer começar a escrever: Para ler como um escritor – Francine Prose.

    Ele não é um passo a passo ou uma “aula” sobre como escrever, mas passa por conceitos muito importantes para escritores de qualquer língua.

    Agora se queres ler a literatura brasileira, eu recomendo os autores mais contemporâneos como Luis Fernando Veríssimo e Paulo Coelho. Também recomendo nossos autores fantásticos Eduardo Spohr e Rafael Dracon.

    A melhor forma de aprender a escrever, é escrevendo. Recomendo que você escreva contos e publique no http://www.onerdescritor.com.br lá é um ponto de encontro de autores brasileiro.

    A própria comunidade vai lhe dizer como você está escrevendo e como você está indo. Sem contar que também tem vários estrangeiros por lá!

  9. Estou gostando muito deste blog, e resolvi acompanhar os textos mais antigos. Gostei muito desta postagem… Estou passando por um momento que se tivesse lido esta postagem algum tempo atrás não teria tantos problemas. Tive uma ideia ótima, escrevi em pouco tempo cerca de 50 páginas, mas acabei deixando de lado este livro. Agora, tive que ler e reler tudo de novo, já que tinha esquecido pontos referentes a alguns personagens. Está sendo cansativo este processo de mergulhar novamente nesta história…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *